quinta-feira, 10 de novembro de 2011

És aquele que fica.

    Sabe,separando as tralhas do que é valioso,não fugirei do que é terno,puro e sincero.
Tens a alma do meu  personagem literário favorito.Não é pequeno,nem chega a ser príncipe.Mas,cativa e cativa do modo mais sem querer e cara limpa que já vi.De modo inconsequente e com a mesma candidez,se torna eternamente responsável.Mas nem precisa,meu menino,das rédeas de minhas emoções tomo eu a responsabilidade.Não fui eu que me permiti ser cativada?agora seguro as pontas,mordo os lábios,aguento firme.Pois é.Não vou fugir,não.Do que é de verdade,não se corre.O livro me disse que o amor de verdade não  desgasta.O que é fraterno não desgasta,e foi o que ficou.Por isso,rega tua flor,pequeno.
Se tivemos que nos despedir de algo antes mesmo da partida,meu anjo,foi porque estamos sob a mão daquele que nos protege.Por fim,me orgulho da sua postura de homem.Decente,honesto,generoso e doce.Me orgulho do que ficou.Do amor sadio,puro e fraterno.E me orgulho,acima de tudo,de saber e sentir que estaremos sempre ligados,onde quer que estejamos,pelo bem querer.Pela força divina que nos rege.Pelas almas que se atraem.Pelas encarnações passadas.Pelos amuletos trocados.Os signos opostos.As conversas confidentes,intimidades ou brincadeiras. Mas,não importa planeta ou razão,sempre estarei com você.Porque jamais encontrei tamanha autenticidade e angelitude em um só ser.As dores vão indo,brigas e más lembranças atiradas ao vento,mágoas,não quero.Te conhecer como a palma da mão,te ter como um parceiro,um irmão,entender,cuidar e ouvir.Isso fica.Torço pelos seus sonhos e pela eternidade de nossa sintonia.Meio-termos sempre me sacanearam,mas cá entre nós,o que ficou é um todo do que foi,é e sempre será verdadeiro.Não me despeço agora,e nem nunca o farei.Ainda estamos juntos em algum lugar do tempo e aqui,agora.Conectados,nunca nos deixaremos cair em solidão.Permanecemos unidos,puxando a linha infinita dessa história,agora para outro rumo.O caminho mais indolor,casto e sincero.Assim,confio no seu bom e velho costume de cumprir suas promessas.Pois do muito que creio em anjos,mais da metade é por você existir.Pois és aquele que ensina,aquele que encoraja.És aquele que me lembrou de cultivar a sementinha do amor próprio e que me fez acreditar nas pessoas,sem ingenuidade.És aquele que sorri para se defender e que chora feito um menino no meu colo para descarregar. És aquele que faz toda a diferença,apesar de todos os erros e fraquezas e os pedacinhos que faltam.És aquele que sabe ser mais,sendo todo de menos.Porque és aquele que fica.E porque,você,que não tardou em se tornar um acontecimento em minha vida,príncipe, és a maior benção que um amor já foi capaz de me trazer.
Um beijo cheio de ternura,gratidão e admiração de alguém que sempre fará parte da sua vida.
Pois Deus não falhou em nos dar duas opções de amor.Ele nunca falha,meu bem.




''A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixa cativar. É preciso que eu suporte 2 ou 3 larvas se quiser conhecer as borboletas. Dizem que são tão belas..."

     (O pequeno príncipe)

5 comentários:

  1. Bravo, Lara!

    Amor é isso mesmo: transcendentalidade, eternidade...

    Ainda que não vivamos algo assim, no aqui e no agora, que possamos sempre sonhar e buscar... Nunca deixando de ter a certeza de algum dia encontrar...

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  2. Legal você ter gostado daquele texto de Gibran Khalil Gibran! O cara é show!

    Recomendo muito a leitura dos livros dele. Fica aqui a dica. =)

    ResponderExcluir
  3. Prima, esse foi um dos melhores textos que tu escreveu. Senti cada palavrinha que tu escreveu...
    Beeeijooos

    ResponderExcluir
  4. Deu pra sentir como tu escreveu. Muito bom =)

    ResponderExcluir
  5. Olá, parabéns pelo seu blog.
    Te convido a conhecer o meu,
    http://carmasepalavras.blogspot.com/

    ;)

    ResponderExcluir